PORTALEGRE - CASTELO BRANCO

 

2017 /2018

________________________________________________________________________________________

 

2016 /2017

ULTREIA DIOCESANA

Ultreia Diocesana - 25 de Junho de 2017

Sob a luz da mensagem de Fátima

A Ultreia Diocesana do Movimento dos Cursos de Cristandade realizou-se, no dia 25 de Junho, em Castelo Branco, nos espaços da Escola Afonso de Paiva que foram generosamente cedidos para o efeito.

O acolhimento decorreu a partir das 10-00 horas, no amplo átrio da escola e no bar dos alunos, onde havia sumos e bolos à disposição. Às 10-30, já no auditório, iniciou-se o dia com a saudação aos participantes, pela responsável do núcleo de escola de Castelo Branco, Maria Edite Martins e pela presidente do secretariado diocesano, Lucília Miguéns, a que se seguiu a oração da manhã, preparada pelo núcleo anfitrião, e orientada pelo diretor espiritual do Movimento dos Cursos de Cristandade, padre Adelino Cardoso.

 Seguiu-se a conferência “A Atualidade da Mensagem de Fátima”, pelo Prof. Doutor Jacinto Faria, da Universidade Católica, cuja apresentação esteve a cargo do diretor espiritual do MCC, que salientou alguns pontos do seu vasto curriculum, nomeadamente o facto de ser o Assistente Mundial dos Casais de Nossa Senhora.

Após contextualizar as Aparições de 1916 e 1917 - num mundo em guerra e em manifesto afastamento de Deus - o conferencista apontou e aprofundou, o que considera serem os três elementos essenciais da mensagem de Fátima: O Mistério da Trindade; A Eucaristia e A consolação de Deus.

Abordou ainda a questão do “Segredo de Fátima” e referiu também o significado e a importância da promessa de Nossa senhora, quanto aos primeiros sábados: Um dia especial para pensar nos outros e “Consolar” Deus.

Após o almoço, houve um belíssimo apontamento musical, proporcionado pelos professores da ESART de Castelo Branco, José Filomeno Raimundo (Pianola) e Pedro Ladeira (Clarinete) a que se seguiu um breve PowerPoint com imagens legendadas, da Ultreia Mundial em Fátima.

 A ULTREIA, iniciou-se logo a seguir à constituição da mesa, a que já presidiu o nosso bispo Don Antonino. Foi rolhista João Martins do Núcleo de Castelo Branco, que de forma inovadora e usando as novas tecnologias, interagiu com a Assembleia e deu testemunho da sua vivência cristã. Houve ressonâncias dos vários núcleos e uma palavra final de Dom Antonino.

A Ultreia Diocesana culminou na Sé de Castelo Branco, com a Celebração Eucarística presidida por Don Antonino e solenizada pelo Orfeão de Castelo Branco, Grupo Coral de Proença a Nova e Filarmónica da Sertã.

_________________________________________________________________________________________

    Movimento dos Cursilhos de Cristandade

      Diocese de Portalegre - Castelo Branco

29º Mini Cursilho para casais

“ Amar não é olhar um para o outro mas florir juntos em amizade e boas obras.”

O 29º Mini-Cursilho para Casais da Diocese de Portalegre e Castelo Branco realizou-se no passado dia 11 de Março, na casa diocesana em Mem Soares, sob o lema “Ser cada vez mais felizes em casal”.

Os casais que viveram o cursilho em separado, tiveram agora a oportunidade de o vivenciar em conjunto. A viver esta experiência estiveram presentes 16 casais de diversas zonas da diocese: Abrantes (Santa Margarida, Rossio ao Sul do Tejo, Sardoal), Pinhal (Proença-a Nova, Cardigos, Sertã), Castelo Branco, Gavião, Nisa e Portalegre.

O Curso  teve a orientação espiritual do Padre Adelino Cardoso e do padre Carlos Almeida, com contributo testemunhal e vivencial dos casais Lucília e Francisco, Milu e Artur, Natária e António, que com a sua disponibilidade e entrega marcou estes casais, cujos testemunho e exemplo foram determinantes para o caminho que irão percorrer no contexto de uma sociedade cada vez mais exigente e penalizadora para as famílias.

Depois de um breve acolhimento iniciaram-se as atividades na capela com a entrega do dia ao Senhor, para que se abrisse o coração à mensagem.

Da reflexão temática e experiência de espiritualidade registamos as seguintes ideias-chave: «No nosso mundo hoje totalmente diferente com novas configurações familiares urge cada vez mais sermos luz e sal no ambiente onde vivemos. O maior desafio de hoje é ser um casal cristão normal no mundo de hoje. É ser célula, é ser igreja doméstica.

São muitos os canais que temos: oração em comum, selecionar o que se vê na televisão, conviver, procurar a oração, procurar amizades cristãs, planear a vida de forma compartilhada, ter a humildade de reconhecer os erros, etc. O casal cristão deve estar atento aos sinais do tempo, ser um cristão activo e não passivo.

 É necessário fazer uma reforma pessoal (eu e eu, eu e os outros, eu e as necessidades temporais e eu e Deus), uma reforma em casal e uma reforma em ambientes. Além disso é igualmente necessário haver uma mudança conjugal/comunitária, sermos igreja colaborando ativamente na mesma, o amor é a própria palavra de Cristo e por último o sentido comunitário cristão depende também da nossa abertura aos outros. Os laços que unem uma verdadeira comunidade conjugal são: o amor (é aquele que mais se dá e não o que mais ama), os filhos, objetivos comuns e os outros baseados no diálogo e na compreensão. Uma verdadeira comunidade conjugal é construída no respeito, na mortificação, ordenação de valores e revisão de vida. Quanto à reforma comunitária dos ambientes o primeiro, como não podia deixar de ser, é na família, depois vizinhança, profissional, associações, política e eclesial. »

Na sessão de encerramento os casais não hesitaram em partilhar o quão gratificante foi e como é bom periodicamente darem a si próprios a oportunidade de em casal reservarem algum tempo para reanalisarem a sua vida, redefinirem o caminho que vêm percorrendo e reconhecerem a importância da solidez da sua relação para a estabilidade familiar.

O encontro terminou com a eucaristia presidida pela assistente espiritual Padre Adelino e com os casais a renovarem o seu compromisso conjugal.

CASAL SANDRA e LUIS ANTÓNIO RIBEIRO

_________________________________________________________________________________________

 

Reflexão/Consoada: NATAL

 

Dia 04 de Dezembro de 2016, realizou-se, nas instalações da Santa Casa da Misericórdia de Gavião a Reflexão/Consoada de Natal do Movimento dos Cursilhos de Cristandade da Diocese de Portalegre-Castelo Branco para, em caminhada de Advento, ajudar a preparar o NATAL.

Após o acolhimento, D. Antonino deu as boas vindas aos cerca de 130 cursilhistas e depois das devidas apresentações e num ambiente acolhedor e familiar como é normal nos encontros dos MCC, fez a devida apresentação do orador convidado, Frei Bento Domingues.

Começando por abordar o tema sobre o “Natal de Jesus”, Frei Bento Domingos falou-nos de Maria, a sua forma de estar e acompanhar o Filho, passando de mestra a discípula, e disse-nos que o Natal nos transmite diversas mensagens das quais se poderão tirar diversas conclusões pois cada uma pode ser interpretada e feito o devido juízo individualmente mesmo sem concordância de todos.  

No Natal falamos de Jesus, e segundo a história ele era, então, considerado fora dos parâmetros do seu tempo, pois a mensagem que transmitia era a de que somos todos irmãos e constituímos uma grande família: somos uma família de famílias.

Então, porque é que nas celebrações eucarísticas, no abraço da paz, cumprimentamos tanto aqueles que nos são do coração como aqueles que nada são e depois da celebração ao sair das portas da Igreja somos uns estranhos?

E, sendo assim, poderemos ficar a pensar: “O que fiz ou o que me fizeram lá dentro porque quando passam por mim na rua nem sequer me falam ou dão a salvação?”.

Que família somos?

A mensagem passada, refletida e interiorizada, foi a de que, se, sem obrigação cumprimentei o meu irmão, porque é que não continuo a fazê-lo depois da Eucaristia? Porque não o acolho e o sinto como “minha família”, meu irmão, filho da mesma Mãe, Maria, que nos conduz para o Seu Filho, Jesus, nosso irmão?

Mas por tudo isto nos devemos alegrar porque a nossa vida está no coração de Deus e que estando no advento preparamos o nosso nascimento para que em Deus vivamos, nos movimentemos e em Deus existamos.

Após alguns momentos de interessante partilha, a partir do que acabávamos de ouvir, dirigimo-nos para a Igreja Matriz de Gavião onde participamos na Eucaristia da comunidade local.

E, depois de aconchegados os espíritos, cerca das 13h00, e em família, aconchegámos os estômagos, num almoço com todos os cursilhistas.

O encontro terminou em ALEGRIA num convívio onde o som da música, as vozes e as pernas provaram que o cristianismo só é vivido se for convivido.

                       João Galinha e Paulo Calado - Gavião

ENCONTRO DE NÚCLEOS DE ESCOLA - NISA - 2016/10/30

Mais Além com Entusiasmo … em Ano da Misericórdia

 

Integrado no calendário de Atividades do Movimento de Cursilhos de Cristandade da Diocese de Portalegre-Castelo Branco, realizou-se no passado dia 30 de outubro de 2016 pelas 15h no Salão Pastoral do Calvário em Nisa o encontro de Núcleos de Escola. Foram cerca de 50 os cursistas presentes em representação dos 4 Núcleos de Escola da Diocese.

Após o habitual acolhimento e oração iniciaram-se os trabalhos com a apresentação/partilha do rolho “Mais Além com Entusiasmo” do sempre caloroso Presidente do Secretariado Nacional – Saul Quintas, que destacou o papel dos dirigentes e a sua necessária integração nas estruturas do movimento, pois como nos disse o Papa Francisco na III Ultreia Europeia “Estais chamados - não escolhestes vós, não, fostes escolhidos, fostes chamados - a fazer frutificar o carisma que o Senhor vos confiou e que está na origem dos Cursilhos de Cristandade… “.

No final foram feitos os avisos mais relevantes sobre as principais atividades do movimento para o presente ano pastoral, tendo sido dado o respetivo destaque para a Ultreia Mundial que decorrerá em Fátima a 6 de maio de 2017. Os trabalhos encerraram com a mensagem final do Sr. Bispo D. Antonino Dias que nos dirigiu palavras de agradecimento pelo trabalho desenvolvido em prol do movimento e da Igreja Diocesana, deixando-nos também uma mensagem de incentivo e entusiasmo.

David Esteves

ENCONTRO CURSILHOS 77º H e 88º S - 2016/11/20 - SENHORA DA GRAÇA - NISA

Movimento dos Cursilhos de Cristandade

Encontro dos Novos Cursilhistas do 74º C.C. Senhoras e 88º Homens

No dia 20 de Novembro, em Nisa, na Senhora da Graça, os novos cursilhistas e a equipa de dirigentes reuniram-se para reviver o cursilho e partilhar o 4ºdia.

Depois de um breve acolhimento e da oração inicial, foi tempo de a Lucília falar sobre o tema: “M.C.C. – O Pós-Cursilho”. Iniciou o tema com a leitura do Evangelho de São Mateus (2, 1-12), dizendo que “um cursilho é como a Estrela que vemos, nos encaminha, nos leva ao Encontro com o Menino que nos espera e que, após esse Encontro, voltamos, certamente, por outro caminho”. Continuou dizendo que “o objetivo do Cursilho é um caminho para seguir Cristo. Que o carisma do MCC é um dom que o Espírito Santo derrama sobre a sua Igreja que conforma uma mentalidade e impulsiona um movimento eclesial”. E que “mediante método Kerigmático próprio, possibilita a vivência e a convivência do fundamental cristão, ajuda a descobrir e a realizar a vocação pessoal de cada um, e promove grupos de cristãos que levam o Evangelho aos seus ambientes”. 

Na explicação do carisma Cursilhista de Cristandade e da dinâmica do Movimento, sublinhou: “Urge cada vez mais conhecer a essência do movimento, a sua mentalidade, finalidade e o método. O porquê do que somos, o porquê do que fazemos e como o fazemos. É a mentalidade que determina a finalidade do Movimento, que concretiza o método e a estratégia que são os meios necessários para atingir designando as estruturas necessárias para isso. Como refere o nº10 da Encíclica da Porta da Fé “no nosso contexto cultural, há muitas pessoas que, embora não reconhecendo em si mesmas o dom da fé, todavia vivem uma busca sincera do sentido último e da verdade definitiva acerca da sua existência e do mundo. Esta busca é um verdadeiro «preâmbulo» da fé, porque move as pessoas pela estrada que conduz ao mistério de Deus. De facto, a própria razão do homem traz inscrita em si mesma a exigência «daquilo que vale e permanece sempre». Esta exigência constitui um convite permanente, inscrito indelevelmente no coração humano, para caminhar ao encontro d’Aquele que não teríamos procurado se Ele mesmo não tivesse já vindo ao nosso encontro. É precisamente a este encontro que nos convida e abre plenamente a fé.”

O MCC existe para realizar uma missão evangelizadora das pessoas e dos ambientes onde vivem. O método possibilita a finalidade atingindo um objetivo concreto: “a conversão das pessoas para a fermentação dos ambientes”. O método assenta em três tempos: Pré-Cursilho, Cursilho e Pós- Cursilho que constituem um todo indivisível. O Pré cursilho existe para iniciar o processo de evangelização das pessoas que posteriormente fermentem os ambientes que necessitam de evangelização.

O Cursilho possibilita um encontro pessoal com Cristo que começa com um encontro consigo mesmo e que se completa com um encontro com os outros. Proporciona o início de uma conversão consciente, crescente e em comunidade.

O Pós-Cursilho é a maneira de viver a fé em comunidade e fermentar os ambientes para que a pessoa seja cristã e membro da Igreja e no mundo levando à sua renovação a partir de dentro. Este pretende ainda “ser necessariamente um processo dinâmico e aberto sempre ao serviço das pessoas e da vida renovando e aperfeiçoando a conversão pessoal iniciada no cursilho”.

Por isso a necessidade das Reuniões de Grupo onde as pessoas se reúnem para estreitar laços e ser mais cristãs. A Ultreia é a reunião de reuniões de grupo que promovem o crescimento na oração, no estudo e na ação levando ao compromisso pessoal e comunitário no ambiente de cada um.

Os Mini-Cursilhos para casais permite aos casais crescer em unidade aquela vivência que fizeram em separado fortalecendo a relação.”

Seguiu-se depois uma pequena reflexão em pequenos grupos sobre o tema apresentado, partilhando depois as conclusões, o que permitiu realçar a importância do Grupo, da amizade, do apoio que se encontra nos outros. Na confirmação de que experiência Cursilhista do 4.º Dia “é um caminho de cristandade que deve ser vivido de forma coerente e consciente.”

O almoço partilhado foi tempo para trocar experiências, conhecimentos e estreitar laços.

Logo de seguida houve espaço para os novos partilharem a forma como estavam a vivenciar o 4º dia, de que registamos testemunhos como: “agora faço as coisas de forma consciente e mais ativa”; “Sinto necessidade de ir ao Santíssimo, de me encontrar com ELE”; “tenho outra postura perante as dificuldades”; “deixei de ser egoísta e comecei a pensar mais nos outros”; “não tenho vergonha de me assumir como cristão perante os outros”; “iniciei o meu percurso como catequista na paróquia onde estou inserida e estou a crescer na Fé junto com eles”, etc.

O encontro foi encerrado com a Eucaristia presidida pelo assistente do movimento, Padre Adelino Cardoso, que na sua homilia realçou: “Cristo dá outro sentido à vida. Cristo Rei encerra o ano litúrgico, no próximo domingo já se inicia o advento e Cristo aponta-nos o caminho para a vida depois da morte. Quando Cristo estava na Cruz, ladeado com os malfeitores, um revolta-se e o outro pede-lhe que se lembre dele quando Jesus estiver no Reino. Confiou em Jesus. Com qual dos malfeitores nos identificamos? Cristo deu-se e continua a dar-se por cada um de nós. É Ele o verdadeiro Libertador. E nós? Como respondemos a esse amor?

Sandra Ribeiro

PEREGRINAÇÃO DIOCESANA DO MCC - ANO JUBILAR DA MISERICÓRDIA

PEREGRINAÇÃO DO M.C.C.

No dia 5 deste mês (feriado nacional) os cursilhistas de toda a nossa diocese (Portalegre-Castelo Branco) rumaram, em peregrinação, a Chandavila – Codosera (Espanha) ao santuário de Nossa Senhora das Dores da diocese de Badajoz.

Foram chegando,uns em dois autocarrose outros em carros particulares. Eramos cerca de duas centenas.

Pelas 10 h fez-se a concentração, junto da Porta Santa, seguindo, em procissão até à igreja (Santuário). Aí chegados, o nosso director espiritual, senhor padre Adelino, expôs o Santíssimo.

Enquanto, em clima de adoração se ia rezando e cantando, alguns sacerdotes atendiam peregrinos, no Sacramento da Reconciliação.

Seguiu-se a Eucaristia, a que presidiu o director espiritual e concelebraram dois sacerdotes.

Na homília, o Sra. Padre Adelino salientou a importância e o significado do lugar em que estávamos, o valor das dores de Nossa Senhora e as nossas. Com elas nos é apontado o caminho para o Pai e feito o desafio a sermos anunciadores do Reino de Deus vivendo a fé sempre em comunidade.

Referindo-se à oração do Pai Nosso, que era o trecho do Evangelho, focou o louvor ao Senhor «santificado seja o Vosso nome…» e também a importância do perdão uns aosoutros «perdoai-nos as nossas ofensas…». E, quase a terminar o apelo a sermos Igreja que vive em comunhão.

Terminada a Eucaristia seguiu-se a tradicional “foto de grupo” e o almoço em que foi rica a partilha das «coisinhas boas» que todos procuraram levar.

Depois houve um belo momento de descontracção (convívio) em que os donos (as) de belas vozes apresentaram canções das suas terras ou zonas a que toda a assembleia se juntou em coro.

Para terminar a nossa peregrinação meditámos as sete dores de Nossa Senhora na «Via Matris».

Um dia enriquecedor para todos os que participámos e que ao regressarmos às nossas casas “sintamos a graça do Senhor nas nossas vidas” como referiu, o celebrante, ao terminar a homília.

Um ano pastoral bem

 

Maria isabel macieira

 

----------------------------------------------------------------------

2015 /2016

DIOCESE DE PORTALEGRE E CASTELO BRANCO

Ano Pastoral – 2105 /2016

CURSILHISTAS EM ULTREIA

No último domingo do mês de Junho de cada ano, os cursilhistas da Diocese de Portalegre-Castelo Branco, vivem o culminar das suas actividades do ano pastoral, reunindo-se em festa, convívio, partilha e amizade, em “ULTREIA”, num dos quatro núcleos da Diocese, alternadamente (zonas de Abrantes, Castelo Branco, Pinhal e Portalegre).

Assim, no passado dia 26 de Junho, a zona de Abrantes mobilizou-se e acolheu, no Pego, a Ultreia Diocesana, em instalações gentilmente cedidas pela Junta de Freguesia.

O dia amanheceu quente, muito quente, mas não impediu que cerca de trezentos cursilhistas se metessem a caminho...

É que um abraço “De Colores” é mais forte e motivante que qualquer constrangimento.

Apos a oração inicial, porque é com oração que os cristãos vivem os seus dias, a vice presidente do Secretariado Nacional e seu marido, a Olinda e o Jorge, apresentaram um rolho sobre a pertinência do Movimento dos Cursilhos de Cristandade, nos dias de hoje.

Apesar dos Cursilhos de Cristandade terem sido implementados há mais de 50 anos em Portugal, num outro contexto social, cultural, e económico, permanecem atuais e necessários na sociedade, nos problemas e realidades de hoje, nomeadamente no que concerne aos jovens e idosos.

Seguiu-se a Eucaristia, presidida pelo Sr. Bispo, D. Antonino Dias, na Igreja Paroquial do Pego. Uma Igreja cheia onde se comemoraram as bodas de ouro de um casal e na qual se realçou o valor da família e o exemplo destes casais que permanecem fieis na vivencia do seu amor conjugal.

Depois do almoço, organizado pelos cursilhistas locais, tivemos o privilégio de partilhar a alegria de um grupo de danças e cantares local e, então, seguiu-se a Ultreia propriamente dita, começando pela apresentação em power point das actividades desenvolvidas no ano pastoral agora a findar, do calendário para o próximo e o rolho de um cursilhista do Rossio ao Sul do Tejo, o Manuel Ferreira, que, apesar da sua saúde frágil, fez questão de partilhar o seu 4º dia com mais de 50 anos.

Com este testemunho vivo e entusiasta de alguém que viu o M.C.C. a decrescer e a parar na sua zona, mas que, com a persistência da reunião de grupo, com fé e esperança, teve a graça de o ver renascer.

E foi de facto, com este belíssimo testemunho, que aconteceu “Ultreia”.

Sabemos que as coisas acontecem quando o Senhor quer e que os Seus tempos não são os mesmos que os nossos mas não podemos deixar de referir a importância do papel do sacerdote que, apoiando o Movimento, este consegue renascer e prosseguir a sua missão.

Regressamos felizes, de coração cheio e alma “De Colores” com a vivencia de mais esta Ultreia Diocesana que, como todas as outras Ultreias ”ajudou a viver o fundamental cristão, impelidos pelo testemunho uns dos, facilitando o crescimento da conversão e proporcionou a convivência e compartilhar a experiencia da vida e da fé, oferecendo um clima de entusiasmo ao partilhar testemunho de vida em que se promove a comunicação, o dialogo, o apoio mutuo, em suma, a amizade”.

A próxima Ultreia diocesana está programada para o dia 25 de Junho do próximo ano na zona de Castelo Branco.

Até la, façamos as nossas Ultreias ao longo do ano, com todo o entusiasmo e partilha cristã.

Que elas sejam de facto, a reunião das reuniões de grupo!

 

DE COLORES!!!

Maria do Rosário Ferreira

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

C. C. 74º SENHORAS

C. C. 74º SENHORAS

Por solicitação do Secretariado Diocesano do Movimento dos Cursos de Cristandade, vimos por este meio enviar nota da realização do 74.º Cursilho de Cristandade de Mulheres da Diocese de Portalegre e Castelo Branco, solicitando a sua divulgação:

Com a graça de Deus, realizou-se mais uma vez, na nossa Diocese, um Cursilho de Cristandade para Senhoras. Desta vez o 74º…

Realizou-se, entre os dias 14 e 17 de Abril e, como habitualmente, na Casa Diocesana de Mem Soares. Nele participaram 34 valentes mulheres dos vários arciprestados diocesanos que respondendo generosamente ao convite que o Senhor lhes fazia, viveram a descoberta e a vivência profunda do Amor de Deus por cada um de nós. Foram, nesta aventura, acompanhadas por uma equipa de 12 leigas e quatro sacerdotes.

Foi em verdadeiro clima de reflexão, descoberta, entrega, fraternidade e Amizade que se viveu e conviveu o Amor de Deus numa Alegria própria dos que aceitam a fantástica Aventura de responder SIM ao Seu chamamento.

Também a presença dos que na retaguarda pediam ao Senhor que sobre todas/os derramasse as Suas Graças, foi apoio e estimulo sentido e reconhecido.

E foi numa caminhada em graça consciente, crescente e de forma comunicada que os seus corações se foram abrindo ao Encontro do Amor de Cristo projetando-se nas novas irmãs.

A alegria dessa descoberta refletia-se no seu semblante e o brilho dos seus olhos mostrava o que elas próprias podiam firmemente afirmar: “O Senhor fez em mim maravilhas”.

E foi isto que se ouviu na partilha feita no Encerramento ou Clausura que se realizou no Cine-Teatro de Nisa, após alguns anos de interregno naquela vila alentejana e que foi gentilmente cedido para o efeito, pela autarquia. Teve início pelas 18,30h do dia 17 com a presença sempre gratificante e estimulante do nosso Bispo, D. Antonino Dias, e uma participação animada, calorosa e acolhedora dos que cá fora, tinham ajudado a viver esta maravilhosa experiencia e que, agora, de coração aberto, recebiam e apoiavam as novas cursilhistas.

Por sua vez, os seus testemunhos refletiam a confiança sentida na grande descoberta do Amor imenso de Deus e o seu compromisso com Ele de O levar consigo fermentando de Evangelho os seus ambientes.

Seguiram-se testemunhos de quem já vive este 4º dia há mais tempo animando aquelas que o estavam a iniciar.

O sr. Padre Adelino Cardoso, Diretor espiritual do Movimento na Diocese, congratulou-se com o êxito deste cursilho, na certeza que foi mais um momento de Graça que o Senhor concedeu à Sua Igreja e convidou todos à participação nas próximas atividades do Movimento, nomeadamente na Ultreia Diocesana que se realizará no Pego, no dia 26 de Junho, dia dedicado ao M.C.C.

D. Antonino, animando todos a seguir em frente, fortes na Fé e na vida em Graça, convidou os presentes a prolongar a Alegria e a Amizade reinantes, na celebração da Eucaristia que teve lugar na Igreja Matriz onde, aquelas que acabavam de viver esta experiencia tão marcante para as suas vidas, receberam os “símbolos” e (re)afirmaram o seu compromisso com Cristo Vivo e Ressuscitado.

Viver um Cursilho é uma experiencia única que transforma o coração e o direciona para a ação em favor dos irmãos. Por isso aqueles que o vivem podem dizer como S. Paulo: “Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim”

Em anexo segue fotografia do grupo e do encerramento.

Cumprimentos,

Pelo Secretariado
João Cardoso

--------------------------------------------------------------------------------

C. C. 88º HOMENS

---------------------------------------------------------------------

CONSOADA DE NATAL - 2015

INÍCIO

 contador de visitas

______________________

______________________